Há alguns anos, um mentor me disse que a genialidade está nas coisas simples. Estranhei de início porque ainda não tinha parado para pensar na diferença entre a simplicidade e o simplismo.
A observação sobre a genialidade envolvia descobertas científicas, teses sociológicas, mas também se encaixava perfeitamente à comunicação.
Lembre-se, por exemplo, de slogans antigos que estão há anos guardados na nossa cabeça, como: “se é Bayer é bom”. Pense agora na forma de falar da pessoa que você mais entende. Certamente ela não é prolixa.
A comunicação mais eficaz é simples e direta, como a de uma boa conversa. Se conseguimos ser claros quando contamos algo a alguém, por que complicar na hora de escrever, defender, apresentar, debater, argumentar?
Pense. E simplesmente fale.

Anúncios