Se existe pelo menos uma pessoa desagradável em seu ambiente de trabalho, saiba que essa é uma reclamação de 10 entre 10 profissionais.
Por mais que afinidades existam dentro de uma mesma área, somos todos diferentes – em cultura, educação, perspectivas, desejos…
Posto que não existe lugar ideal, onde todos são amigos e jamais há conflitos, a única forma de vivermos em paz é exercitando a tolerância e a assertividade.

1. Respire
Não deixe a raiva dominar você. Quando ouvir algo desagradável, respire fundo, vá tomar uma água. Só depois de analisar bem a situação, pense no que fazer. Não ignore o problema, nem a pessoa. Apenas se lembre de que ações precipitadas podem prejudicar você.

2. Elogios em público e críticas em particular
É difícil encontrar alguém que jamais tenha ignorado o primeiro item. Isso, no entanto, deve ser evitado a todo custo.
Se achar que uma conversa é a melhor opção, espere a cabeça esfriar e convide a pessoa para um local reservado.
Lembre-se sempre de que elogios podem ser feitos em público; críticas, jamais.

3. Alerte com jeitinho
As pessoas normalmente não têm consciência de qual atitude irrita os outros – mascar chiclete fazendo barulho, bater os pés incansavelmente ou até gritar sem motivo com os colegas, por exemplo.
A melhor saída para esses casos é o jeitinho. Diga à pessoa de forma discreta – e até bem humorada, se for o caso – que tal hábito tira a sua concentração ou não é muito bacana.
Não deixe que pequenas coisas ganhem grandes proporções. Às vezes, problemas sérios de relacionamento começam por bobagens.

4. Conflito de opiniões
É comum termos atritos com alguém simplesmente pelo fato de defendermos opiniões diferentes. Aí entra a tolerância. Você tem o direito de pensar o que quiser. O outro também.
E as empresas precisam de pessoas com perfis diferentes para alcançarem o equilíbrio. É importante, por exemplo, ter alguém com um olhar mais humanista diante das ações a serem tomadas; e outro profissional mais prático, que jamais vai se esquecer que um dos maiores objetivos da empresa é o lucro.

5. Esqueça o rótulo de vilão e vítima
Tente compreender o colega, o contexto em que ele vive e os valores que tem. “As pessoas difíceis normalmente esperam que as outras ajam do jeito que elas querem”, afirma Adriana Prates, presidente da Dasein Executive Search. “Ao descobrir a origem disso, você começa a prever o comportamento dela e a desenvolver uma maneira de lidar com ela”.

6. Espelhamento
Será que você também é uma pessoa difícil? Para saber, você precisa se autoavaliar. O primeiro passo é simplesmente parar de acusar que o outro está sempre errado. Tente se conhecer melhor, exercite o domínio próprio e mostre os seus valores.

7. Peça ajuda
Se você estiver esgotado, depois de já ter tentado de tudo, recorra a um apoio. Converse com o superior responsável ou com o RH da empresa. Às vezes, uma intervenção vinda de cima é necessária.
Seja discreto para não ser mal interpretado. Se outros colegas tiverem as mesmas queixas em relação à “pessoa difícil”, o ideal é que o grupo leve a situação a uma instância superior.

Fonte: Exame.com

Anúncios