Na semana passada, começamos o processo de mudança.
Se você se identificou com alguns tópicos do primeiro passo e já parou para analisar se seu descontentamento no trabalho é pontual ou é mais forte, precisa virar o jogo. A satisfação profissional é imprescindível à qualidade de vida.

O problema é pontual
Saber o que o incomoda já é mais do que meio caminho andado para a solução.
Se você gosta do trabalho, mas tem atrito com alguém, uma boa conversa pode resgatar o ambiente. Caso já tenha tentado de tudo e saiba que outras pessoas já passaram pela mesma situação e a empresa não soube administrá-la, é hora de olhar o que o mercado pode lhe oferecer.

Antes de anunciar que quer sair, analise bem se é isso mesmo o que deseja.
– Pense no que gostaria de trabalhar e onde;
– converse com pessoas que passaram por lá;
– observe, além do salário e das perspectivas de promoções, o clima da empresa e a satisfação dos funcionários;
– e também se a jornada costuma se estender regularmente – isso por ser muito estressante em médio prazo.

Sendo a troca um bom negócio, encontre a melhor forma de comunicar ao seu
superior – não procure o RH diretamente. E relembre os motivos pelos quais está saindo.
É possível que a empresa tente segurá-lo. Esteja aberto, mas não acredite em milagre.

O buraco é mais embaixo
Pode ser que você ainda não tenha encontrado a carreira que o realize. Na semana que vem, a gente fala sobre os caminhos para se chegar até ela.

Anúncios