O consultor organizacional Eduardo Shinyashiki elaborou a pedido de EXAME.com uma agenda interessante para planejar sua trajetória profissional em 2012.

Dia 1
O pontapé dessa jornada para começar 2012 com planos de carreira bem feitos depende de um questionar de rumos. “Se a gente não define para onde quer ir, 2012 pode ser uma sucessão de lugares que eu não quis, mas a vida acabou me levando”, diz o especialista.

Por isso, dedique o primeiro dia para decidir onde você quer estar profissionalmente quando o próximo ano der seus suspiros finais. É em um emprego novo? Um posto acima na hierarquia da empresa? Uma pós-graduação em andamento? Um segundo, terceiro ou quarto idioma na ponta língua e sem engasgos? O que você quer, realmente, para a sua carreira?

“Uma empresa que não tem uma missão definida gasta muito recurso com pouquíssimo retorno”, diz o especialista. Neste ponto, o espírito deve ser o mesmo dos gestores das companhias quando determinam a tríade missão, valores e visão corporativas.

Lembre-se: cumprir todas as metas propostas pela empresa (definitivamente) não é sinal de que tudo anda bem na sua carreira. No filme Meia Noite em Paris (Woody Allen/2011), o roteirista Gil tem uma carreira bem sucedida em Hollywood. Mas mesmo assim, ele não está feliz porque o que ele quer mesmo é ser escritor. “Para quem não escolhe, resta o destino. Quem decide, tem futuro”, diz.

Dia 2
Agora é hora de fazer um mapeamento do que está acontecendo na sua carreira. Em outros termos, colocar a si mesmo na berlinda. Cheque o que deu certo e o que não ao longo do ano que passou. Investigue as razões para cada ação bem ou mal sucedida. Destaque seus pontos fracos e quais deles podem impedir que você alcance o destino determinado no dia anterior.

“No Japão antigo, todo jovem samurai tinha que se perguntar sobre quais eram os próprios pontos fracos e tornar isso consciente. Eles não tinham vergonha de admiti-los”, diz.

Dia 3
Reserve um bom tempo deste dia para determinar as estratégias para dar um “jeito” nos seus pontos fracos e correr atrás do seu objetivo final. Seja realista e objetivo. Nada de definir ações pouco plausíveis para seu contexto atual.

“É dia de dar uma resposta às questões O quê? Quando? Onde? Quem?”, diz Shinyashiki. Em outros termos, para cada proposta você deve desenvolver um plano de ação com prazos e meios para tirá-los do papel.

Exemplo: se você não é bom para fazer apresentações ou suas habilidades básicas de comunicação engasgam, determine um prazo final para fazer um curso de oratória, por exemplo.

Dia 4
Aristóteles, em sua “Ética a Nicômano”, olhou para as andorinhas para justificar que uma pessoa não pode ser julgada por atos isolados. A sabedoria popular, conscientemente ou não, adaptou a metáfora “uma andorinha só não faz verão” para o contexto de que sozinho, ninguém consegue fazer nada.

Lembrar-se disso durante esta semana é essencial para colocar sua carreira em movimento e não apenas se deixar levar pelos acontecimentos da vida.

Pensando nisso, dedique um tempo para se aproximar das pessoas. O especialista define: “Networking não é quantas pessoas você conhece, mas quantas pessoas tem você no coração”. Profissionalmente falando.

É desse tipo de relação que nascem as parcerias que podem ser decisivas para seu futuro profissional. Atenção, networking também não é uma questão de assumir o papel de aproveitador. “As pessoas bem sucedidas são aquelas que souberam desenvolver um interesse genuíno pelas pessoas”, diz o especialista.

Dedique esse dia para enviar e-mails, fazer ligações e simplesmente agradecer a todas essas pessoas pela importância delas para seu 2011.

Dia 5
Reserve o último dia para celebrar e sonhar. Exatamente. Visualize exatamente como você gostaria que seus dias profissionais fossem em 2012 e alegre-se por aquilo que ainda está para se realizar, explica Shinyashiki. Como todos os detalhes importantes da vida, a carreira também merece uma pitada de leveza, esperança e celebração. Todos os dias.

Extraído de:

 

Anúncios