delegação
Delegar faz parte da nossa rotina (ou deveria fazer).
De limpar a casa a passar a outra pessoa uma tarefa importante no trabalho, se não delegamos, perdemos um tempo valioso de atividades mais importantes, como planejar e reequilibrar as energias.

Delegar, no entanto, não é ‘delargar’.
Tendemos a passar o urgente para ficarmos com o importante, o chato para fazermos o legal, o rotineiro para ficarmos com aquilo que exige inovação, criatividade e que vai gerar reconhecimento…

Feita de modo eficiente, a delegação pode ser um excelente instrumento de motivação, treinamento e enriquecimento de funções. Confira algumas dicas do especialista em educação corporativa Luiz Augusto Costacurta Junqueira.

1. Delegue a quem tem competência e empenho demonstrados
Não necessariamente a pessoa precisa conhecer a fundo a atividade, mas tem que ter o potencial para desenvolvê-la e, acima de tudo, vontade;

2. Acompanhe sem ser controlador
Deixe claro que você verificará periodicamente o andamento do trabalho; defina os tipos de relatório e sua periodicidade;

3. Abra-se ao apoio
Esteja acessível para responder perguntas;

4. Conceda margem de erros
Não repreenda quando alguém lhe disser que errou. Use esse erro como oportunidade de treinamento;

5. Determine prazos realistas
Avalie em quanto tempo você mesmo cumpriria a tarefa;

6. Partilhe suas ideias e expectativas
Se vislumbrar um determinado resultado, é preciso informar ao delegado;

7. Estabeleça limites
Defina até onde vai a autonomia de ação/decisão;

8. Não estruture demais a tarefa
Deixe que o subordinado escolha que caminhos tomar;

9. Por último, se você acha que já delega suficientemente, proponha a si mesmo as seguintes questões:
– Quando você viaja ou entra de férias, seu departamento/unidade funciona mais devagar?
– Seu substituto eventual, na sua ausência, resolve apenas parte dos problemas que aparecem?
Se a resposta for afirmativa para as duas perguntas, você deve se questionar se está delegando pouco. Provavelmente está!

Anúncios